Categorias espirituais!

homem 1

Primeiro vamos saber o que realmente o homem é.

Obra prima das mãos de Deus: Gn 1.26-28.

Pó e cinza: Gn 18.27.

Uma criatura de Deus: Gn 1.26-28.

Um pecador: Rm 3.9-19.

Um ser que pode ser redimido: Tt 2.

Sua constituição.

Espírito, alma e corpo: 1Ts 5.23.

  1. Espírito: Jó 32.8; Ec 12.7; Zc 12.1; Ez 36.26; Mt 26.41.
  2. Alma: Gn 2.7; 1Sm 18.1; Sl 25.13; 62.1; Ez 18.4.
  3. Corpo: 1Co 9.27; Rm 8.23; 12.1; Ef 5.28; Hb 3.17.

Um resumo da história do homem (Gn 2 e 3).

  • Formação: Gn 2.7.
  • Deformação: Gn 3.7.
  • Conformação: Gn 3.11.
  • Informação: Gn 3.15.
  • Transformação: Gn 3.21.

1 Coríntios 2.14–3.7

Nestes versículos extraordinários, Paulo divide os homens em três categorias espirituais:

1- O cadáver (o homem natural, 1 Co 2.14): o homem psuchikos.

Características do homem psuchikos:

  • Ele pode não ser tão mau quanto poderia ser, mas é totalmente impotente para compreender a Palavra de Deus (veja At 8.31).
  • Ele, então, conclui que as Escrituras não têm sentido (veja At 17.18,32; 26.24).
  • Ele está morto e precisa ser ressuscitado, pois não pode ser vivificado (veja Rm 5.12; Ef 2.1).

2- A criança (o homem carnal, 1 Co 3.1-4): o homem sarkikos.

Características do homem sarkikos:

  • Ele é tão impotente quanto um recém-nascido. A palavra meninos usada aqui foi traduzida do grego nepios, e tem a conotação de imaturidade, inexperiência e fraqueza. Tal condição também é retratada em Efésios 4.14 (veja também Gl 4.3; 2 Pe 1.9).
  • Ele é incapaz de receber algo além de leite (1 Co 3.2). Essa condição sugere a primeira infância ou uma doença. O leite é apropriado por algum tempo (1 Pe 2.2), mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal (Hb 5.14 ARA; veja também Hb 5.11-13).
  • Ele anda e fala como um homem controlado por sua natureza pecaminosa (1 Co 3.3). Todos os cristãos deveriam refletir acerca de sua resposta à seguinte pergunta: “Se você fosse preso e acusado de ser um cristão, haveria provas suficientes para condená-lo?”. Ao que parece, os coríntios, em sua maioria, seriam soltos sem cumprir pena alguma.
  • Eles comparavam líderes espirituais em vez de verdades espirituais (Veja 1 Co 2.13 em contraste a 1 Co 3.4). Paulo reage a isso dizendo: Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento (1 Co 3.6). Somente Deus pode fazer isso (veja também 1 Rs 18.30-38).

3- O conquistador (o homem espiritual, 1 Co 2.15): o homem pneumatikos.

Características do homem pneumatikos:

  • Ele não é santarrão.
  • Ele não é superior (em termos de cérebro, força, história de vida, dinheiro etc.).
  • Ele não é sensacional
  • Ele não é artificialmente doce.
  • Ele não é puritano.
  • Ele não é segregado da sociedade.
  • Ele não é superficial.
  • Ele não é covarde.
  • Ele é espiritual. Ser espiritual é estar em harmonia com Deus e com as Suas leis (Rm 7.14). Portanto, um homem é simplesmente alguém controlado e motivado pelo Espírito Santo (veja 1 Co 15.46; Gl 5.16,25).

Devido a isso, ele pode julgar todas as coisas corretamente (1 Co 2.15). (veja também 2 Tm 2.15 em contraste a 2 Pe 3.14-17).

Paulo afirma que nós temos a mente de Cristo (1 Co 2.16) – algo a que todos os cristãos têm acesso, mas apenas o homem espiritual experimenta (Fp 2.5).

Uma expressão surpreendente usada 72 vezes na Bíblia: HOMEM DE DEUS.

Esta expressão é antagônica ao homem de Belial.

  • Elias foi homem de Deus, venceu Acabe e os profetas de Baal e Asera, além de ser instrumento para muitos milagres: 1 Rs 17–21.
  • Eliseu foi homem de Deus: 2 Rs 5.20.
  • Moisés foi homem de Deus, que venceu faraó, teve bênçãos para repartir com Israel e foi honrado como Deus: Mt 33.1.
  • Samuel foi homem de Deus e um grande intercessor respeitado por Israel e seus lábios eram puros: 1 Sm 7.15.
  • Semaías foi homem de Deus: 1 Rs 12.22.

HOMENS E CRISTO

  • Cristo conhece todos os homens; Ele sabe de nossas misérias e nossas fraquezas: Sl 139.1-4.
  • Cristo não confia nos homens por causa da perversidade e da fragilidade deles: 2 Co 12.9.
  • Cristo morreu pelos homens, para salvá-los completamente e fazê-los membros de sua Igreja: 1 Tm 2.6.
  • Cristo acolhe os homens, os que se aproximam dele e os que crêem no seu nome: Jo 3.16.

Você vai gostar também:

crescimentoespiritual

CRESCIMENTO ESPIRITUAL

 

Até a próxima!

Fica na paz!

 

,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: