A TRINDADE

a Trindade

O que significa dizer que Deus é uma Trindade?

A- Cada membro da Trindade possui em si mesmo o ser de Deus em toda a Sua totalidade, além de todos os atributos divinos. Isso quer dizer que o Pai não deve ser visto como um terço de Deus etc.

B.B. Warfield defende este ponto de vista:

Existe apenas um Deus, entretanto, na unidade da divindade, há três Pessoas eternas e coiguais, idênticas em substância, porém distintas em experiência. (ORR, James (Ed.). International Standard Bible Encyclopedia. 5 v.)

B- A única distinção entre os membros [da Trindade] está na maneira como Eles se relacionam entre si (submissão) e com o restante da criação (missão).

  • Quanto à submissão.

O Filho está subordinado ao Pai, contudo é inteiramente igual ao Pai. O Espírito está subordinado ao Pai e ao Filho, contudo é inteiramente igual ao Pai e ao Filho.

  • Quanto à missão.

Não foi o Espírito quem enviou o Seu Filho à terra, mas sim o Pai. Não foi o Pai nem o Espírito Santo quem se tornou homem e morreu na cruz, mas sim o Filho. Não foi o Pai nem o Filho quem veio no Dia de Pentecostes, mas sim o Espírito Santo.

Robert Culver explica o entendimento ortodoxo desses relacionamentos eternos:

Duas expressões têm sido tradicionalmente empregadas para designar certos relacionamentos internos entre o Pai e o Filho, e entre estes e o Espírito. Essas duas expressões são a eterna geração do Filho pelo Pai e o eterno soprar (ou emanação) do Espírito pelo Pai e pelo Filho. Essas expressões começaram a ser usadas aproximadamente na época de *Niceia ( 325 d.C.).

Elas expressaram em linguagem bíblica a ideia de que o Filho e o Espírito estavam eternamente com a divindade. João 1.14 refere-se ao nosso Senhor como o Unigênito do Pai.

João 14.16,26 e 15.26 fala do Espírito como sendo enviado pelo Pai e pelo Filho. (The Living God.p.96)

C- A forma tripessoal de ser está muito além da nossa capacidade de compreensão. Não deveríamos surpreender-nos pelo fato de Deus, que é eterno, ser incompreensível a seres temporais como nós. Não existe nada em nossa experiência que possa ser comparado a Deus.  Nós não temos ponto de referência comum.

D- Portanto, à luz de tudo isso, podemos concluir que a estrutura da Trindade é fatual, lógica, eterna, efetiva e totalmente incompreensível!

Quais são algumas das ilustrações propostas para explicar a Trindade?

Não existe exemplo terreno algum que explique plenamente o ministério da Trindade. Entretanto, ao longo da história da igreja, diversas tentativas [de ilustrar a Trindade] foram feitas

A- Exemplos possíveis (e parciais):

  • Um triângulo.

Esse é um exemplo razoavelmente bom da Trindade porque tem três lados, mas ainda assim trata-se de um triângulo que é indivisível.

  • O fogo.

O fogo precisa de três elementos para existir. Esses elementos não são iguais, mas, se algum deles estiver ausente, o fogo cessará de existir. Esses elementos são o combustível, o calor e o oxigênio.

  • A natureza da luz, consistindo de três tipos de raios:

Raios químicos — raios que são invisíveis e não podem sentidos nem vistos.

Raios de luz — raios que podem ser vistos, mas não podem ser sentidos.

Raios de calor — raios que podem ser sentidos, mas nunca vistos.

Algumas pessoas dizem que essa é uma boa ilustração da Trindade porque os raios químicos são invisíveis e poderiam ilustrar o Pai (que não pode ser sentido nem visto). Os raio de luz podem ser vistos, mas não podem ser sentidos, ilustrando assim o Filho. Os raios de calor ilustram o Espirito Santo, porque podem ser sentidos, mas nunca vistos. Essa é uma ilustração possível da Trindade.

  • O tempo, consistindo do passado, do presente e do futuro.
  • O exemplo dimensional:

Para fins práticos, nosso mundo é um mundo tridimensional (excluindo a quarta dimensão do tempo), onde todos os objetos possuem altura, comprimento e largura. Portanto, imaginemos um livro com 23cm de comprimento,  15cm de largura e 2,5 com de altura.

Poderíamos concluir acertadamente que:

Existe apenas um livro.

Existem, porém, três dimensões separadas, mas unificadas.

Essas dimensões não são iguais, mas não podem ser separadas umas das outras sem que o livro seja destruído.

Passagens no Novo Testamento referentes à Trindade:

  • O batismo de Cristo (Mt 3.16,17).
  • A tentação de Cristo (Mt 4.1).
  • Os ensinamentos de Cristo.

Em joão 14.16, a palavra grega traduzida como outro é allos, que significa “outro do mesmo tipo. Heteros é a palavra grega que expressa outro de um tipo diferente. Ela nunca é usada para referir-se à Trindade (veja também Jo 14.26).

  • A fórmula batismal (Mt 28.19,20).
  • A benção apostólica (2Co 13.14).

Um sumário bíblico da divindade da Trindade:

  • O Pai é Deus (Jo 6.44; Rm 1.7; 1Pe 1.2).
  • O Filho é Deus (Is 9.6; Jo 1.1; 20.28; Tt 2.13; Hb 1.8).
  • O Espírito é Deus (At 5.3,4; Hb 9.14).

Em toda obra, desde a criação do universo até a consumação dos séculos, houve, há e haverá a participação da Trindade. Em tudo! A Bíblia é clara e objetiva a esse respeito! Ai de quem duvidar ou questionar. Espera então o juízo final! Onde tudo será revelado!

Imagem de Amostra do You Tube

Qual foi o papel exercido pela Trindade na ressurreição de Jesus Cristo?

A verdade emocionante é que todos os membros da bendita Trindade participaram do nascimento, da morte e da ressurreição de Jesus Cristo!

Com relação ao Seu nascimento:

  1. O Pai (Gl 4.4).
  2. O Filho (Hb 10.4-7).
  3. O Espírito Santo (Lc 1.30,31,34,35).

Com relação à Sua morte.

  1. O Pai (Is 53.10).
  2. O Filho (Jo 10.18).
  3. O Espírito Santo (Hb 9.14).

Com relação à Sua ressurreição.

  1. O Pai (Gl 1.1).
  2. O Filho (Jo 10.17).
  3. O Espírito Santo (Rm 8.11).

Qual foi o papel exercido pelas três Pessoas da Trindade na salvação?

A- A obra do Pai na salvação:

  • Ele nos conheceu de antemão e nos predestinou (Rm 8.29; 11.2; Ef 1.5,11).
  • Ele nos escolheu e nos elegeu (Mt 24.31; Rm 8.33; Ef 1.4; 2Ts 2.13; 1Pe 1.2).
  • Ele nos chamou e nos conformou (Rm 8.28-30).
  • Ele nos justificou e nos glorificou (Rm 8.30).
  • Ele nos enviou Seu Filho (2Co 5.19; 9.15).

B- A obra do Filho na salvação:

Quatro verbos de ação descrevem a obra de Jesus em nossa salvação.

  • Mostrar (Jo 12.45; 14.8,9).
  • Buscar (Lc 19.10).
  • Sacrificar (Jo 10.11).
  • Satisfazer (Rm 3.25,26). Nota: em Romanos 3.25, a palavra propiciação (veja também: O que é Expiação?) refere-se à satisfação. Isso quer dizer, simplesmente, que a morte de Cristo satisfez a santidade e a justiça de Deus.

C- A obra do Espírito Santo na salvação:

  • Ele convence, apontando-nos para Cristo (Jo 16.7-11).
  • Ele batiza, colocando-nos em Cristo (1Co 12.13).

Recomendo o artigo abaixo:

Atributos Divinos do Espírito Santo

Até a próxima!

Fica na paz!

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *