Parábolas

parábolas

Parábola é uma narrativa curta que, mediante o emprego de linguagem figurada, transmite um conteúdo moral, sendo por isso erroneamente confundida com a fábula. Difere do apólogo, por ser protagonizada por seres humanos.

Uma parábola, da forma como é usada no Novo Testamento, é uma história que tem dois níveis de significado. Alguns dos detalhes da história representam realidades comuns fora da história básica. Uma das chaves para interpretar parábolas é saber como evitar alegorizar a passagem ao interpretar esses detalhes. Para fazer isto, seis princípios devem ser levados em consideração.

Primeiro, há um ponto principal para cada personagem principal ou grupo de personagens.  Na história do bom samaritano (Lc 10.25-37), muitos detalhes são dados sobre a história: um homem viajando de Jerusalém para Jericó, ladrões, um sacerdote, um levita, um samaritano, um animal, e um hoteleiro. Quantos destes são personagens principais? O segundo princípio ajudará com esta questão: existem um, dois ou três pontos principais, porém, não mais do que isto. O bom samaritano, o homem que ia para Jericó, e o sacerdote/levita (combinamos em um grupo: os líderes judaicos) foram os três personagens ou grupos principais.

Terceiro, lembre-se sempre de considerar o contexto. Ao estudar a parábola do filho pródigo, ignorar os versículos iniciais (Lc 15.1,2) fará com que a parábola tenha menos impacto sobre o leitor: E chagavam-se a ele todos os publicanos e pecadores para o ouvir. E os fariseus e os escribas murmuravam, dizendo: Este recebe pecadores e come com eles. Nesta parábola, os publicanos e os pecadores se relacionarão com o filho pródigo, e os fariseus e escribas se relacionarão com o filho mais velho. A introdução fornece dicas sobre o significado da parábola para o público original.

Quarto, além dos personagens e grupos principais, todos os outros detalhes são simplesmente acessórios usados para o suporte da história. Certifique-se de identificar os detalhes relevantes e irrelevantes. Tudo o que não for um personagem ou grupo principal é irrelevante com respeito `interpretação, como o animal ou o hoteleiro. Eles são úteis para se contar a parábola, mas não para interpretá-la.

Quinto, os pontos principais precisam ter sido compreensíveis para o público original. Este princípio evita que os leitores pensem que o filho pródigo represente a Convenção Batista do Sul no período de 1970 a 1980 e o filho mais velho os Metodistas Unidos. Não haveria como o público original de Jesus entender esta interpretação, tampouco o público original de Lucas poderia tê-la compreendido. Se uma interpretação seria impossível para os leitores originais entenderem, então, é praticamente certo que ela esteja errada.

Finalmente, uma advertência: é melhor basear uma doutrina em passagens mais claras e diretas do que em parábolas. As parábolas podem ser usadas para apoiar as doutrinas, mas uma parábola não deve ser a passagem fundamental para uma doutrina específica. A linguagem simbólica utilizada nas parábolas torna o uso delas inviável no desenvolvimento de doutrinas.

Interpretar corretamente a Bíblia é importante para um relacionamento vital com Deus e com a verdadeira doutrina. Diversos conceitos universais de interpretação das Escrituras devem ser considerados quando se lê um texto bíblico.Certifique-se de que você conhece o contexto da passagem e use as passagens mais claras para ajudá-lo a entender as ambíguas. A observação minuciosa das sentenças e parágrafos é o fundamento correto para uma boa interpretação. Identificar corretamente o gênero e as regras de interpretação da passagem irá resguardá-lo de erros corrigíveis. Uma vez que descubra o princípio teológico permanente que fundamenta a sua passagem, você está pronto para começar o processo de aplicação do princípio. Finalmente, anime-se em saber que quanto mais as pessoas lerem a Bíblia, melhores elas se tornarão em interpretá-la. Quanto mais habilidoso alguém se torna em interpretar a Palavra de Deus, mais íntimo o seu relacionamento poderá ser com o seu Criador por meio das páginas vivas da Palavra de Deus. Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração. (Hebreus 4:12).

Você vai gostar também de ler no site:

ENTENDENDO A BÍBLIA 

INTERPRETANDO A BÍBLIA ATRAVÉS DO SÉCULO

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: