LEI BÍBLICA!

Jesus e a Lei ll

Vamos conhecer o que é a Lei bíblica.

A lei bíblica é mais do que uma lista do que se deve ou não fazer; é um sistema de expectativas divinas acerca de crenças e de comportamentos, que, se for fielmente executado, traz as mais ricas bênçãos de Deus. A própria vida depende da observância da Lei (Dt 4.1).

O êxodo do Egito libertou a nação de Israel para torná-la serva de Deus. Quando o Altíssimo libertou Israel da escravidão com mão forte e com braço estendido, e com grandes espantos  (Dt 4.34), não foi porque Israel havia adquirido esse direito por meio de sua própria justiça, mas porque o Senhor foi gracioso e fiel às Suas promessas a Abraão. O objetivo do resgate não foi apenas para aliviar os israelitas de seus fardos (Êx 1.11-22; 5.4-23), mas para fazer uma aliança com eles. A relação de aliança não fez de Israel o povo de Deus , pois ele já era Seu; assim, a obediência não era uma precondição para a aliança, mas a resposta adequada a ela. Isso rendeu ao povo a responsabilidade de servir a Deus como um reino sacerdotal e como uma nação santa (Êx 19.4-6).

A aliança garantia a Israel vida abundante e significativa se o povo observasse a Lei; o contrato da aliança consiste de princípios, padrões e normas gerais. As instruções de Deus são geralmente incorporadas nos Dez Mandamentos (Dt 5.6-21) e mais sucintamente no Shema (Dt 6.4,5). Todas as outras leis de Deus são interpretações e aplicações desses princípios primários. A lei foi dada para regular questões de Israel como uma nação, de modo que o povo de Deus fosse um farol de Sua graça para todo o mundo.

A vida que resultava da obediência à Lei não era a vida eterna no sentido do Novo Testamento, mas a promessa divina de que, se os israelitas fossem fiéis à aliança, o país poderia esperar longos e prósperos dias na terra (Dt 5.33). Jesus (veja, JESUS E A LEI) também exortou Seus discípulos a observar os Dez Mandamentos e as exigências do Shema (Mt 22.37-40) – não para obter a vida eterna, mas para expressar compromisso com Ele.

Vamos estudar um pouco Deuteronômio 4.2

A instrução de Deus para Israel que dizia “nada acrescentareis […] nem diminuireis” é uma garantia para nós. As orientações do Senhor não eram um esboço que nos mostraria como entrar em um estádio. Suas palavras não cobriam quase tudo ou iam além. As instruções de Deus eram firmes, confiáveis e imutáveis.

Se acrescentarmos à Lei de Deus, sobrecarregaremos a nós mesmos e deixaremos de viver na liberdade que Ele deu-nos. Se subtrairmos algo da Sua Lei, desconsideraremos as barreiras que nos protegem dos danos.

Deus expressa com precisão o que Ele quer dizer, exatamente da forma que precisamos para viver. Nem mais, nem menos, “seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade” (2Pe 1.3).

Você também vai gostar de ler:

Sejam todos edificados!

Até a próxima.

Fica na paz!

,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: