Por que o segundo Templo de Israel era tão significativo?

A dedicação do segundo Templo de Israel em 12 de março de 515 a.C. foi o evento mais significativo na vida daqueles que retornaram do exílio babilônico. Agora, eles poderiam adorar e louvar Deus da mesma forma como seus antepassados adoraram antes do exílio. Agora, as exigências divinas para o relacionamento baseado na aliança com Ele poderiam ser cumpridas. O sumo sacerdote, agora, podia entrar na presença de Deus uma vez por ano, no Dia da Expiação, para aspergir sangue pelos pecados da nação. Depois de 70 anos de separação de Deus, o povo da aliança era agora restaurado.
Todavia, esse evento alegre não veio sem dificuldade. Com a ajuda de Deus, os exilados israelitas que retornaram suportaram 16 anos de oposição de pessoas que habitavam sua terra e de autoridades persas. Seus inimigos fizeram de tudo para desencorajá-los, mas os israelitas concluíram a reconstrução do Templo e restabeleceram a adoração a Deus por meio de paciência, persistência e forte encorajamento profético (Ed 5.1-5; 6.14).
A dedicação do Templo demonstra que Deus pode realizar Sua vontade por intermédio de um pequeno grupo de pessoas que deixam suas prioridades para agradá-lo e que confiam que Ele cumprirá Suas promessas (Ed 6.8; Ag 2.7,8). Em vez de focar no pouco que tinha, o povo de Deus confiou no que Ele poderia proporcionar. O povo dedicou-se a glorificar o Senhor e a manter firme seu relacionamento com Ele. Deus provou que estava soberanamente no controle das nações e que poderia mudar o coração dos líderes dessas nações para realizar Sua vontade (Ed 5.5; 6.6-10,22).
Estudando Esdras 5.11
Tatenai, o governante escolhido pelo rei, confrontou os construtores do templo, exigindo saber quem havia dado permissão para o projeto de edificação deles (Ed 5.3). Os líderes corajosamente responderam: “Nós somos servos do Deus dos céus e da terra”. O Deus de Israel não era uma deidade local fajuta. Ele era Deus dos reis e dos reinos.
O livro de Esdras cuidadosamente mostra como Deus usou reis estrangeiros como Seus instrumentos para Seus propósitos. E “despertou o SENHOR o espírito de Ciro” para retornar o povo de Deus para Jerusalém e para financiar a construção do Templo de Deus (Ed 1.1). Anos mais tarde, a obra de Deus continuou baseada na descoberta de um parágrafo perdido ema uma chancelaria pagã (Ed 6.1,2).
Deus é supremo sobre todos os governantes, os eventos históricos e as forças hostis.
Você já levou em consideração que Deus tem poder para mudar a atitude de uma pessoa ou de grupo de pessoas? Deus é infinitamente poderoso. Ele pode despertar o espírito de alguém para Seus propósitos.
Costumamos perguntar-nos se Deus está trabalhando no mundo à nossa volta. O livro de Esdras – bem como toda a Bíblia – testemunha a atividade  contínua de Deus e Sua influência sobre os eventos mundiais. Ele continua a guiá-lo hoje em dia.
Ele é Quem é Maravilhoso!
Tremendo!
Supremo!
Magnifico!
Soberano!
Ele é o Rei da glória!
Ora, quem é o Rei da glória?
JESUS CRISTO, Ele é o Rei da glória desde o princípio!
Amém!
Até a próxima!
Fica na paz!
Você também vai gostar de ler:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *