E ASSUERO?

E ASSUERO?

Assuero foi um rei persa que reinou sobre 127 províncias, desde a cidade de Susã, até a Índia e Alto Nilo.
Fez de Vasti sua rainha.
No terceiro ano do seu reinado, o rei ofereceu uma festa de 180 dias para os nobres e oficiais do reino.
A festa foi seguida de sete dias de banquete.
No sétimo dia do banquete, quando já estava bêbado, Assuero pediu que Vasti desfilasse diante dos convidados.
Vasti negou seu pedido.
O rei ficou enfurecido, e, seguindo o conselho dos oficiais embriagados, divorciou-se dela.
Após retomar a sobriedade, arrependeu-se da decisão precipitada que tomara, mas, de acordo com a lei persa, o pedido não podia ser anulado. (Et 1.1–2.1).
A fim de acalmar o rei, foi feita uma busca em todo o reino para encontrar a nova rainha.
Uma linda jovem judia virgem, Ester, que significa “estrela”, venceu o concurso de beleza e passou a ser a nova rainha.
Ester, porém, não revelou sua nacionalidade judaica de imediato.
Logo após o casamento, Mardoqueu, primo de Ester que criara como filha, descobriu e reportou uma cilada contra a vida do rei. Os supostos assassinos foram imediatamente presos e enforcados. (Et 2.2-23).
Assuero foi convencido por Hamã, o mais novo primeiro-ministro, a assinar uma lei para que todos os judeus do reino fossem destruídos. (Et 3.1-15).
Quando ouviu sobre a cilada, Ester arriscou a vida ao entrar na sala do trono sem avisar. A pedido de Ester, o rei aceitou comparecer ao banquete que ela mesma prepararia somente para ele e Hamã. (Et 4.1–5.14).
Durante a noite, o rei pediu que lessem o livro do registro das crônicas para ele, na esperança de que a leitura lhe causasse sono.
Mas, ouviu nos relatos que Mardoqueu lhe havia salvado a vida e resolveu recompensá-lo.
Hamã chegou ao palácio, com a esperança de receber permissão para enforcar Mardoqueu.
Ironicamente, Hamã foi obrigado a preparar um desfile de honra a Mardoqueu. (Et 6.1-14).
Ester revelou a Assuero a cilada de Hamã para matar a ela e seus compatriotas.
Hamã não sabia que Ester também era judia e implorou por misericórdia.
O rei, no entanto, presumiu que ele soubesse e ordenou que fosse enforcado na forca que havia preparado para Mardoqueu.
Assuero deu a Ester a casa de Hamã, e o anel que tinha dado a esse traidor foi presenteado a Mardoqueu.
Ester, então, implorou para que seu povo fosse salvo do holocausto vindouro.
Apesar de não ter o poder para reincidir o decreto original, Assuero emitiu outro, dando aos judeus o direito de defesa.
Os judeus venceram os inimigos.
A pedido de Ester, os dez filhos de Hamã foram enforcados.
Assuero promoveu Mardoqueu a primeiro-ministro do reino. (Et 7.1–10.3).
Dados:
Pai: Dário
Esposas: Vasti e Ester (Et 1.9; 2.15-18).
Citado pela primeira vez na Bíblia: Esdras 4.6 (Xerxes em algumas traduções).
Citado pela última vez: Ester 10.3.
Significado do nome: “Poderoso, olho do homem”.
Mencionado: 30 vezes.
Livros da Bíblia que citam Assuero: três livros (Esdras, Ester e Daniel).
Cargo: rei do império medo-persa (Et 1.1-3).
Como foi morto: foi assassinado.
Detalhe importante sobre Assuero: casou-se com Ester (Et 2.15-18).
Leia também: ESTER

Fica na paz!
Até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *