Por que Jerusalém foi a capital de Israel?

Por que Jerusalém foi a capital de Israel?

Jerusalém foi uma cidade estabelecida 400 anos antes de Davi. Ela nunca fora dominada por completo durante a conquista de Josué e no período dos juízes, e relações de paz foram evidentemente estabelecidas entre o independente enclave jebuseu e os israelitas (Jz 1.21; 19.10-12). Jerusalém era tão invencível que o Antigo Testamento relata apenas três invasores que foram bem-sucedidos: Davi, Jeoás e Nabucodonosor da Babilônia (2Sm 5.6-10; 2Rs 14.11-14; 25.1-10). Mesmo Senaqueribe, um dos mais poderosos imperadores da Assíria, preferiu aceitar o dinheiro do tributo em vez de tentar conquistar a cidade.
Davi manteve Jerusalém como a capital política e até espiritual de Israel. O Salmo 48 fala linda e poderosamente de Jerusalém como uma fortaleza. Suas torres, baluartes e cidadelas facilmente defensáveis com o seu terreno acidentado poderiam produzir uma falsa sensação de segurança e, até mesmo, de idolatria (Ob 1.3,4). No entanto, o Salmo 48.1-3 lembra-nos de que era a presença viva de Deus que tornava Jerusalém segura, e não a topografia da cidade.
Jerusalém é chamada de cidade santa tanto no Antigo como no Novo Testamento (Is 52.1; Mt 27.53), e é a única cidade que a Bíblia descreve dessa maneira. Contudo, qual é a fonte da santidade de Jerusalém? Não pode ser o reflexo da santidade de seus ocupantes. Na verdade, os cidadãos eram tão corrompidos que Deus permitiu que os babilônios dizimassem a cidade em 586 a.C. Ela também não era santa por ter sido a capital de Israel por vários séculos. Portanto, Jerusalém era a cidade santa, em primeiro lugar, porque Deus escolheu-a (1Rs 8.44,48). E como escolheu esta cidade, Ele pôs Sua glória e Seu nome lá (Ez 43.1-12). Assim, Sua presença era o que tornava Jerusalém santa.
Nos Evangelhos e em Atos dos Apóstolos, Jerusalém ainda era uma cidade terrena de grande importância. Ela foi o local do templo como também o centro da vida espiritual de Israel. Mas o Novo Testamento também apresenta a nova Jerusalém, a cidade celestial composta pelos santos de Deus (Hb 11.10; Ap 3.12; 21.2).
Na Jerusalém terrena, os reis de Judá recebiam parcialmente a gloriosa presença e o Reino de Deus. De forma semelhante, a nova Jerusalém representa o governo de Jesus Cristo e Sua eterna presença com Seu povo (Jo 1.14; Ap 21.3).
Estudando 1Reis 8.41-43

Deus escolheu Israel para ser uma bênção para todo mundo (Gn 12.1-13). Israel deveria ser uma luz para as nações vizinhas. Por isso, Salomão orou para que não israelitas vissem a luz de Israel, aprendessem a temer o Senhor e vivessem em um relacionamento com Ele.
Infelizmente, o próprio pecado de Israel e sua cegueira espiritual impediram que a nação alcançasse o restante do mundo com o amor de Deus. Mas louvado seja o Senhor! Jesus cumpriu o propósito de Israel e tornou-se a benção de Deus. Ele era descendente de Abraão e de Davi (Gl 3.8,9) e tornou-se o Messias para todos os povos, tanto judeus e como gentios.
Alcançar o mundo e ser uma bênção ainda é o propósito de Deus para o Seu povo hoje. Cristãos devem aproveitar cada oportunidade para espalhar o amor de Deus a todos.
Até a próxima! Fica na Paz!
Visite também: A história de Israel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *