QUAIS SÃO OS QUATRO IMPÉRIOS MUNDIAIS DESCRITOS EM DANIEL 2 E 7?

Quais são os quatro Impérios mundiais descritos em Daniel 2 e 7?
Duas visões panorâmicas de Daniel apresentam a soberania de Deus sobre a história. Nabucodonosor teve a primeira (Dn 2.1) e Daniel, a segunda (Dn 7.1-14). Em cada uma delas, quatro reinos do mundo são apresentados.
Sempre houve dúvidas sobre a identidade desses quatro impérios, mas historicamente também houve consenso. Hipólito (170-236 d.C.), um dos pais da Igreja primitiva, identificou os reinos como Babilônia, Império Medo-Persa, Grécia e Roma. Já o historiador e pai da Igreja, Eusébio de Cesareia (260-340 d.C.), inicialmente identificou o primeiro reino como a Assíria (que controlou a Babilônia), mas depois concordou com Hipólito e com a maioria dos pais da Igreja. Posteriormente, Jerônimo e Agostinho, assim como muitos teólogos conservadores, abraçaram o mesmo entendimento.
Alguns intérpretes, no entanto, afirmaram que a Grécia seria o quarto império, e não Roma, pois consideravam os medos um reino separado. Essa interpretações se deve, em parte, à rejeição da possibilidade de tal profecia, uma vez que o livro foi escrito antes do surgimento do Império Romano (por volta de 164 a.C.).
Todavia, a Média e a Pérsia são geralmente considerados um único império, e o reino da Média havia sido assimilado principalmente pelos persas no tempo em que Ciro II conquistou a Babilônia em 539 a.C. Por conseguinte, Roma é tido como o quarto reino.
No entanto, as características bestais, demoníacas e desumanas da visão vão muito além da Roma histórica. As visões representam um panorama de todo o mundo e de seus governos. Tudo será destruído e substituído pelo Reino de Deus, a “pedra[…] cortada” (Dn 2.34). Os metais da estátuas tornam-se cada vez menos valiosos na capítulo 2, enquanto os animais do capítulo 7, cada vez mais ferozes, violento e desumanos. Essas características representam a deterioração da civilização humana ao longo dos séculos, enquanto o Reino de Deus cresce em poder e estatura (Dn 2.35).
Portanto, a Babilônia é caracterizada pela cabeça de ouro e pelo leão. O Medo-Persa é representado pelo peito e pelos braços de prata e pelo urso. A Grécia é simbolizada pelo ventre e pelas coxas de bronze e pelo leopardo. E finalmente Roma é retratada pelas pernas de ferro e pelo quarto animal.
Estudando Daniel 2.24-47
Sonhos eram considerados mensagens dos deuses, e os astrólogos deveriam interpretá-los. Mas nesse caso, Nabucodonosor pediu não só que interpretassem o sonho, mas que também lhe dissessem qual foi o sonho. Isso era humanamente impossível.
Mas Deus entrou em cena e revelou o sonho e seu significado a Daniel. E antes de Daniel dizer qual quer coisa ao rei, ele deu o crédito a Deus, explicando que não sabia do sonho pela sua própria sabedoria, mas somente porque o Senhor revelou-lhe.
No final, Nabucodonosor honrou Daniel e o Deus dele. Se Daniel tivesse ficado com todo o crédito, o rei teria honrado apenas ele, mas por ter dado o crédito a Deus, o rei honrou ambos.
Como é fácil ficarmos com o crédito pelo que o Senhor faz por nosso intermédio! Isso rouba de Deus a honra que somente Ele merece. Portanto, devemos ser como Daniel e apresentar Deus para as pessoas, para que possamos dar-lhe a glória.
Parte de nossa missão neste mundo é mostrar aos descrentes como Deus é, e podemos fazer isso por meio de atos de amor e compaixão. E se dermos o crédito a Deus por nossas ações, eles desejarão conhecê-lo também.
Veja mais, visitando: DANIEL
Até a próxima! Fica na Paz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *